Saiba como manter o networking ativo em tempos de distanciamento social

Como manter o networking ativo em tempos de distanciamento social a Florida Christian University (FCU), em seus 34 anos, sempre busca realizar eventos e  seminários que possam promover o networking para os participantes. A Universidade Americana entende que uma rede de contatos sólida é considerado chave para o sucesso dos negócios e para a evolução profissional do indivíduo. Mas como manter, cultivar ou aumentar essa rede em tempos de distanciamento social?  

Sabemos que por conta da pandemia do coronavírus muitas áreas de trabalho passaram a ser remotas e diversos eventos presenciais foram cancelados, remarcados ou mudaram para o modo online. Tudo para manter a saúde das pessoas e profissionais em segurança.

Mas, apesar do distanciamento social imposta pela pandemia, especialistas de RH afirmam que ainda assim é possível manter um network de qualidade. Para isso, é preciso ter a tecnologia como grande aliada e se reinventar, buscando meios para deixar ativa essa rede tão fundamental para o crescimento profissional e pessoal.

Confira abaixo algumas dicas que podem lhe ajudar nessa trajetória:

1: Reorganize sua rede de contatos e agenda

Reveja sua agenda e tente não desmarcar eventos, apenas converta-os para o modo online e videochamadas. 

2: Atualize as conversas com seus contatos

Mesmo distantes socialmente, manter contato frequente com sua rede é fundamental para que seu networking esteja ativo. 

3: Preocupe-se com o bem-estar da sua rede

Vivemos em uma época de incertezas e se mostrar empático com o outro, nesse momento, abre caminhos e quebra barreiras no relacionamento interpessoal. 

4: Encontre novos contatos

O LinkedIn pode ser uma ferramenta social poderosa nesse momento, uma vez que a plataforma foi criada para proporcionar a conexão entre potenciais parceiros de trabalho e carreira. Aproveite para deixar atualizado o seu perfil na plataforma e produzir conteúdos relevantes, que realmente apresentem o seu valor como profissional. 

Fontes de informação: Fundação Instituto de Pesquisa / Forbes Brasil