Saiba como manter o networking ativo em tempos de distanciamento social

Como manter o networking ativo em tempos de distanciamento social a Florida Christian University (FCU), em seus 34 anos, sempre busca realizar eventos e  seminários que possam promover o networking para os participantes. A Universidade Americana entende que uma rede de contatos sólida é considerado chave para o sucesso dos negócios e para a evolução profissional do indivíduo. Mas como manter, cultivar ou aumentar essa rede em tempos de distanciamento social?  

Sabemos que por conta da pandemia do coronavírus muitas áreas de trabalho passaram a ser remotas e diversos eventos presenciais foram cancelados, remarcados ou mudaram para o modo online. Tudo para manter a saúde das pessoas e profissionais em segurança.

Mas, apesar do distanciamento social imposta pela pandemia, especialistas de RH afirmam que ainda assim é possível manter um network de qualidade. Para isso, é preciso ter a tecnologia como grande aliada e se reinventar, buscando meios para deixar ativa essa rede tão fundamental para o crescimento profissional e pessoal.

Confira abaixo algumas dicas que podem lhe ajudar nessa trajetória:

1: Reorganize sua rede de contatos e agenda

Reveja sua agenda e tente não desmarcar eventos, apenas converta-os para o modo online e videochamadas. 

2: Atualize as conversas com seus contatos

Mesmo distantes socialmente, manter contato frequente com sua rede é fundamental para que seu networking esteja ativo. 

3: Preocupe-se com o bem-estar da sua rede

Vivemos em uma época de incertezas e se mostrar empático com o outro, nesse momento, abre caminhos e quebra barreiras no relacionamento interpessoal. 

4: Encontre novos contatos

O LinkedIn pode ser uma ferramenta social poderosa nesse momento, uma vez que a plataforma foi criada para proporcionar a conexão entre potenciais parceiros de trabalho e carreira. Aproveite para deixar atualizado o seu perfil na plataforma e produzir conteúdos relevantes, que realmente apresentem o seu valor como profissional. 

Fontes de informação: Fundação Instituto de Pesquisa / Forbes Brasil

FCU oferece 11 cursos online totalmente gratuitos

FCU oferece 11 cursos online totalmente gratuitos para você ficar em casa no período da quarentena. Que tal aproveitar o momento para dar um UP em seu currículo e agregar mais conhecimento a sua carreira?

A Florida Christian University (FCU) entendendo esse período de dificuldade mundial por conta do COVID-19, em que muitos profissionais e estudantes precisam ficar em casa, está oferecendo 11 cursos online totalmente gratuitos.

A Universidade sabe que o ensino a distância se tornou a maneira mais segura, no momento, de garantir a continuidade dos estudos e desenvolvimento pessoal, e deseja colaborar nesse processo. 

Sobre a FCU

Sediada em Orlando nos EUA, a Florida Christian University, em 34 anos de existência tem revolucionado a maneira de ensino, promovendo uma educação internacional de qualidade e acessível a todos. A Universidade oferece cursos presencial e online, em inglês, português e espanhol. 

Saiba quais cursos estão sendo oferecidos gratuitamente

Os cursos, em diferentes áreas do conhecimento, estão sendo oferecidos no site da FCU  e os interessados podem ter acesso, agora mesmo, no link: https://floridachristianuniversity.edu/. Vale ainda ressaltar, que a Universidade disponibilizou cursos em inglês, português e espanhol.

Confira abaixo a lista de cursos oferecidos gratuitamente: 

  • Coaching Comparado – Português

Este curso é um estudo comparativo sobre a diferença entre Coaching, Counseling, Mentoring e Consulting, definições, diferenças e aplicações importantes. Serão expostas Ferramentas Estratégicas para Desenvolvimento de Pessoas, considerando a Importância do Desenvolvimento Humano, na Espiritualidade, e na Neurociência, ressaltando os passos para o Autoconhecimento. Através deste curso, serão destacadas Características e a Importância do Coaching, Mentoring, Conseling e Consulting, seus processos, interfaces, seus tipos de Metodologia, Semelhanças e Diferenças e como antingir o sucesso conduzindo o processo.

  • Reconciliation of Broken Marriage – Português

Este curso destina-se a fornecer uma visão geral da dinâmica do casamento desfeito e do caminho de reconciliação. Em vez de ensinar uma coleção de fatos, o curso é projetado para ensinar as estruturas  de pensamentos de famílias quebradas para melhor compreensão da mesma. O aluno será capaz de aproximar os membros com habilidades criativas e preventivas para trazer a família a cura necessário e apontá-los para a reconciliação disponível em Jesus Cristo.

  • Church History – Português

No entendimento de que o conhecimento da história é importantíssimo à vivência do presente e à construção do futuro, o curso propõe o estudo dos principais acontecimentos na vida da Igreja Cristã desde o seu surgimento. Com uma influência decisiva na história da humanidade ao longo de todo esse período de dois mil anos, o cristianismo viveu os mais variados momentos, da perseguição ao poder, do ostracismo à fama, das catacumbas aos palácios – e toda essa riquíssima história tem um potencial pedagógico gigantesco. Sem perder de vista o viés espiritual, que proporciona a essa caminhada um caráter sobrenatural, muitas vezes manifesto, a proposta é trazer à tona os fatos de maior relevância, considerando sua motivação, seu desenrolar e seus desdobramentos, chegando à leitura do cenário presente com uma visão crítica melhor fundamentada.

  • Macroeconomics – Português

Abordar a história e importância da ECONOMIA, como foco na MACROECONOMIA e suas tendências atuais, envolvendo sistemas econômicos, capitalismo e socialismo. Estudar os motivos e consequências de de um sistema econômico equilibrado e os causadores de seu desequilíbrio. Entender alguns termos econômicos, como: demanda, oferta, mercado, política monetária, política fiscal, política cambial e escassez. Analisar o cenário atual e as crises cíclicas.

  • Microecnomics – Português

Abordar a evolução e importância do entendimento da ECONOMIA, como foco na MICROECONOMIA. A base da economia. Escassez, trade off / alternativas, oferta e da demanda, valor e escassez Teoria do consumidor. Custo Benefício. Custo de oportunidade. Custo afundado. Preferências e função de utilidade.. Demanda individual e demanda de mercado. Bens normais e inferiores. Bens comuns e bens substitutos. Bens de Giffen. e de Veblen Teoria da produção: função de produção. Teoria de custos. Economias de escala . Elasticidade. Demanda por fatores de produção em mercado concorrencial. Introdução as estruturas de mercado. Mercado para fatores de produção. Papel do Governo. Tomada de decisão com GPS Financeiro.

  • Fraturas Emocionais – Português

Este curso destina-se a fornecer uma visão geral sobre as fraturas emocionais, no indivíduo. Baseando-se em estudos de caso, e nos conceitos de psicologia positiva e coaching, no intuito de trazer uma melhor compreensão da comunicação e os relacionamentos intrapessoal e interpessoal, propondo clareza em prol de uma melhor gestão das emoções.

  • Philosophy & Christian Worldview in Principled Education – Inglês

  • The Gifts of The Holy Spirit – Inglês

  • Personality Theory: Self Esteem – Inglês

  • Group Dynamics – Espanhol  

  • Introduction to Study of the Bible – Espanhol

Acesse os curso clicando aqui.

Cinco dicas para aproveitar melhor o seu tempo e estudar durante a quarentena

Cinco dicas para aproveitar melhor o seu tempo e estudar durante a quarentena

Engana-se quem pensa que esse período de quarentena pode ser desperdiçado. Breve estaremos de volta às nossas rotinas, mas o momento agora é de se cuidar, encontrar meios para não diminuir o ritmo de estudos e se capacitar cada vez mais. 

Para que isso aconteça, é necessário se adaptar ao novo formato de aprendizado: EAD, além de aprender a gerir o tempo e a se organizar cada vez mais.  

Para ajudar nesse caminho, preparamos cinco dicas para você focar nos estudos e tornar esse tempo de quarentena muito mais produtivo. 

1 – Importante lembrar que a quarentena não é férias. Por isso, manter o foco e determinação são indispensáveis;

2-  Siga uma rotina de estudos, delimitando horários. Tenha também um plano com conteúdos que precisam ser estudados e os trabalhos e atividades que devem ser colocados em dia;

3- Defina um ambiente tranquilo e agradável para os estudos;

4- Mantenha o equilíbrio, fazendo pequenas pausas para o descanso. Não esqueça de se alimentar bem e hidratar-se corretamente; 

5- Aproveite as ferramentas tecnológicas para se conectar com seus colegas e professores, realizar pesquisas e, ainda, utilize constantemente as plataformas disponibilizadas pela sua instituição de ensino para tirar dúvidas referentes aos assuntos e matérias. 

Gostou das dicas? Vale ainda destacar que a FCU liberou 10 cursos online, totalmente gratuitos,  que podem ser acessados clicando aqui. Uma excelente opção para quem também deseja utilizar o tempo que livre nessa quarentena para investir em sua qualificação profissional. 

*Com informações do guiadoestudante.abril.com

crise

Crise, uma palavra com uma conotação tão negativa.

Todo mundo fala de crise, principalmente no Brasil nesses últimos momentos. Mas crise não é bom, e nem é ruim. Crise é o que você decide. Crise vem do grego krísis, que etimologicamente falando refere-se ao momento de decisão, o momento de discernimento. Por isso, nós temos as palavras: critério e crítica. É o momento onde você avalia e decide entre um caminho ou outro.

Nós temos uma oportunidade espetacular de entrar em crise.

Eu convido você a participar da melhor crise da sua vida! O momento de discernimento e de aprendizado, de decisões tremendas que vão mudar o resto da sua vida, e os resultados palpáveis maravilhosos que milhares de pessoas já passaram entrando em uma crise positiva, quando elas decidiram: “eu vou”, quando decidiram mudar suas vidas, serem melhores e decidiram: “eu vou mudar para alcançar o meu potencial total”.

Não perca a oportunidade de entrar em crise!

Stefano Portigliatti

ideia

Saiba como apresentar uma ideia de forma eficaz para obter resultados e aumentar seu poder de influência

Quando é necessário apresentar uma ideia e influenciar o público você sabe como iniciar, conduzir e fechar o que será apresentado? 

Nosso objetivo é conversar sobre a estrutura de uma apresentação, que é dividida em abertura, apresentação e conclusão, entendendo que os “momentos mágicos” estão na abertura e na conclusão. 

Nesse viés,  o primeiro momento é onde se chama a atenção das pessoas e o segundo o que será deixado para elas. E, claro, a argumentação é o que se domina e será apresentado ao público.

Abertura: 

Nela é preciso conectar o público ao tema, trazendo logo de início o benefício, o interesse, o que é relevante. Porém, vemos que muitos não costumam fazer dessa maneira, onde normalmente começam com o contexto até chegarem ao que realmente desejam. 

Veja aqui um exemplo de como iniciar uma boa apresentação: “Olá, vim aqui trazer um aspecto, um modelo para que você reduza em 15% seu custo logístico já nos próximos dois meses…”. Isso é a chamada manchete de jornal, o trailer do filme, o que faz com que as pessoas fiquem conectadas ao tema. Depois você pode contextualizar.

Como já dito, a maioria das pessoas não fazem assim, já iniciam a apresentação com o contexto. Dessa forma, a mesma expressão ficaria: “Olá, eu sou Guilherme Miziara e vim trazer para vocês alguns aspectos que acontecem hoje na nossa economia para a gente entender e poder trabalhar melhor…”.

Não, o público não quer saber disso, ele quer saber o que ganha. Pode-se contextualizar, desde que o benefício venha inicialmente. 

Como último exemplo da primeira dica, suponhamos que você está no facebook e encontre um vídeo de 6 minutos (longo para internet), em que está escrito: “Receita maravilhosa para fazer no final de semana”. Qual deveria ser o primeiro quadro desse vídeo? A receita pronta, claro, pois se você gostar certamente assistirá o vídeo inteiro. Caso não goste, pulará.  

Em resumo, traga as pessoas e direcione o seu conteúdo para que elas fiquem conectadas a tudo que será falado durante a sua apresentação.

Argumentação:

Posso dividi-la em dois modelos: racionais e emocionais:

1- Racionais: são pesquisas, números, estatísticas, fontes, leis, etc, algo que comprove o que se diz. 

2- Emocionais: são histórias, analogias, metáforas, situações, exemplos, etc. 

Muitas gente acha que só os argumentos racionais resolvem,  quando trago uma fonte que comprove o que está sendo digo. Mas se fosse assim, alguns médicos não fumavam. Nesse sentido, os argumentos racionais são realmente fortes, mas precisam dos argumentos emocionais. 

De outro lado podemos encontrar pessoas que acham que só os argumentos emocionais servem, o que pode, por outro lado, aparentar não ter muita base, somente uma experiência, algo empírico daquilo que se está falando. Por isso, o equilíbrio entre os dois argumentos é fundamental. 

Por que esse equilíbrio na argumentação muitas vezes não acontece se parece tão óbvio?

Pelo simples fato de que quem tem uma dominância aos argumentos racionais normalmente acha os argumentos emocionais “balela”, “enrolação”. Já os tendenciosos aos argumentos emocionais acham os argumentos racionais “chatos”. 

Mas é preciso equilibrar os dois pontos. Vale aqui ressaltar, que a depender do público seremos mais tendenciosos a um tipo de argumentação ou outro, como, por exemplo, se tivermos uma audiência de engenheiros certamente será utilizado mais argumentos racionais. Por outro lado, se o público for de psicólogos ou de pedagogos será possível oferecer mais elementos emocionais. 

Que fique claro, não falei para você trazer só um tipo de argumentação, apenas pesar a mão em um deles para que se consiga influenciar da melhor forma o seu público-alvo. A argumentação é fundamental e você já possui o conteúdo, mas a forma como irá conduzir, de acordo com o público, fará toda diferença na sua influência.

Conclusão:

O terceiro e último aspecto tem haver com a conclusão da fala, ideia ou apresentação. Alguns autores chamam de conexão. Este é um termo que gosto muito porque não adianta  concluir a apresentação das ideias se as pessoas não se engajarem, se não houver a conexão do público

Use o verbo no imperativo!

Nesta fase é preciso direcionar as pessoas, trazendo o verbo no imperativo, um comando, solicitação ou um pedido. Precisamos fazer com que elas entendam o que é para ser feito.

Assim, uma fechada no comando como: faça um test drive, entre em contato, acesse nosso site, fale conosco, inscreva-se no canal, etc, são importantes. Mas, lembre-se que a conclusão é um “momento mágico”, onde precisamos direcionar o público que já ouviu os argumentos e agora está apto por um comando para tomar a decisão. 

Você já assistiu um filme de trilogia em que ele acaba do nada e ao final você sai frustrado do cinema? Por que esse sentimento? Porque a experiência final é fundamental. 

Sabendo disso, não deixe o final atrapalhar a sua apresentação. Lembre-se que você prometeu algo relevante, argumentou e fundamentou, agora é hora de direcionar a audiência, trazendo-a  para próximo. 

Quer resultados e influência? Nós podemos te ajudar!

Como está o nível das suas apresentações? Você tem realmente alcançado os resultados desejados? A Florida Christian University (FCU), a Universidade Americana com 34 anos de experiência e reconhecimento social  tem ajudado, em todos esses anos, seus milhares de estudantes a alcançarem o nível máximo do seu potencial, seja em suas apresentações ou em suas carreiras como um todo.

Você pode continuar dando desculpas, ou tomar agora mesmo uma decisão de trilhar os rumos de uma carreira relevante e influente. Conheça os programas em mestrado e doutorado internacionais, bem como o corpo docente da Universidade clicando aqui, e ainda descubra muitas outras vantagens em fazer parte da FCU, a Universidade que entende você! 

Por: Guilherme Miziara

neuroleadership

Saiba como adquirir alta performance usando a neuroliderança na área do trabalho

Saiba como adquirir alta performance usando a neuroliderança na área do trabalho. O grande desafio do século XXI para os departamentos de recursos humanos é a conscientização do relacionamento entre funcionários e empresas aliando colaboração, conexão e resultados práticos. E o que isso significa? Alta produtividade e performance para líderes e colaboradores.

“Vê um homem diligente em seu trabalho, este será posto ao lado de reis” (Provérbios 22:29). Assim, segundo os provérbios ter alta produtividade e performance é ser diligente.

Outra variável importante a ser considerada é a formação de qualidade em liderança, pois é comum encontramos colaboradores com desempenho insatisfatório e um nível baixo de autoconhecimento.

Assim, a neuroliderança aliada a liderança vem potencializar esse processo, maximizando os pontos forte de cada colaborador. Na compreensão da neurociência é necessário entender o funcionamento cerebral para um melhor aproveitamento do mesmo.

Um exemplo disso é o que ocorre com o sistema límbico, que segundo alguns autores é a unidade responsável pelas emoções e comportamentos sociais, e entra em ação na possibilidade de termos recompensa imediata.

Partindo desse pressuposto, esse sistema de recompensas pode aumentar os resultados dos colaboradores, mas é preciso entender como ativá-lo nas pessoas que estão buscando reconhecimentos, lembrando que estes são, na maioria das vezes, pelos resultados apresentados.

Entenda onde a neuroliderança atua

Conforme David Roque, que é o principal nome da área, a neuroliderança é um novo campo de estudo com base nas mais recentes pesquisas do cérebro para melhorar a qualidade da liderança e o desenvolvimento de líderes.

Compreendendo isso, a busca constante pela excelência, pela alta produtividade e performance se faz necessário num ambiente empresarial atual. Para isso, é necessário que hajam treinamentos constantes, ou seja, uma educação continuada.

A neuroliderança tem base na neurociência de quatro atividades da liderança:

1 – Como os líderes tomam decisões e resolvem problemas;
2 – Como regulam as emoções;
3 – Como colaboram com os outros;
4 – Como facilitam a mudança.

Descubra o papel da resiliência como forma de aumentar o seu potencial

Na neuroliderança este é um termo muito utilizado e em um processo de atualização global, o ser humano deveria considerar a resiliência como uma ferramenta importante para o desempenho profissional e pessoal. Ela é uma característica essencial e marca registrada das pessoas de sucesso.

Além disso, a resiliência é o que permite que as pessoas voltem da decepção, frustração e fracasso mais fortes e determinadas do que antes. Pensando assim, enfrentar as dificuldades e objeções do dia a dia é fundamental dentro das empresas para um processo de liderança de alta produtividade e performance.

Nesse processo, a resiliência é de fundamental importância, uma vez que ela ajudará as pessoas a se recuperarem mais rapidamente das adversidades e objeções, e, após isso, não apenas retornem ao status quo, mas aproveitarem a oportunidade para crescerem e promoverem o seu desenvolvimento.

Descubra quatro maneiras de desenvolver resiliência:

1 – Através da autoestima, que desenvolve no indivíduo o senso de valor atribuído a si mesmo;
2 – Por meio da autoeficácia, que é a crença na própria capacidade de organizar e executar ações requeridas para produzir resultados desejados;
3 – Através da auto-regulação, desenvolvendo a capacidade de mudar pensamentos, emoções, comportamentos e a fisiologia dos colaboradores;
4 – Por meio da compaixão, que é o desenvolvimento da capacidade de se colocar no lugar do outro.

Conheça mais sobre as potencialidades da neurociência e transforme a sua carreira

Já pensou em se aprofundar ainda mais no conhecimento dessa área que tem crescido em grande escala e afetado todas as áreas da sociedade? A Florida Christian University pode lhe ajudar.

A Universidade Americana que já formou milhares de estudantes, oferece uma educação internacional com programas de mestrado, doutorado e pós-doutorado em neurociência, de forma acessível e flexível.

Você pode continuar tendo as mesmas atitudes e obtendo os mesmos resultados, mas por que não tentar algo novo e alcançar resultados extraordinários? Por isso, clique aqui para conhecer agora mesmo os programas oferecidos pelo FCU.

Por Marcos Marins

dicade15milhoes

Dica dos 15 milhões 

Quer saber qual a dica do 15 milhões dada pelo Dr. Anthony Portigliatti, que pode transformar a sua carreira e te ajudar a chegar ao sucesso tão desejado? 

Então, fique ligado no que ele compartilho no FCU Weekly, que agora pode ser conferido também no blog da FCU. 

Por Dr. Anthony Portigliatti

As pessoas sempre me perguntam como trabalhar no desenvolvimento pessoal hoje. Assim, depois de toda a experiência que adquiri e de ter dado aulas em diversas universidades e instituições de ensino, sempre me reporto há um aprendizado pessoal que tive quando contratado por uma empresa multinacional, líder mundial na internacionalização de tintas. 

Para mim esta é uma das organizações que eu mais pude ver investir no desenvolvimento das pessoas. Não apenas na qualidade e no que ela representa como indústria, mas o quanto que investe no recurso/capital humano.

Esta empresa implementou um trabalho a nível Global para unificar o conceito de liderança em cada um dos países e, para isso, realizou uma fantástica pesquisa onde investiu 15 milhões de dólares para separar 28 palavras que pudessem caracterizar o desenvolvimento das pessoas. Eu aprendi de cor todas elas. Destas 28 palavras eles resumiram para 14, depois foram para oito, seis e acabaram simplificando em quatro palavras,  que eu digo serem as quatro palavras dos 15 milhões de dólares.

Saiba quais são as 4 palavras mágicas dos 15 milhões de dólares:

Primeira: resiliência, que é a capacidade que um corpo físico tem de ser esmagado e posteriormente voltar ao seu estado quo. Isso acontece com todos nós. Já fomos esmagados algumas vezes, seja pelo país, condição econômica, estabilidade, entre outras coisas. 

Segunda: auto-responsabilidade, que diz respeito ao quanto que você é responsável e ao quanto sua palavra tem valor. Quando você diz que vai fazer algo, você realmente faz? Quando erra é capaz de falar que errou? Quando alguém te delega algo e lhe oferece um prazo, de fato irá cumprir? 

Terceira: trata-se de personal skills, que significa suas fortalezas pessoais. Será que você está usando isso para o seu desenvolvimento ou está fazendo uma coisa totalmente fora daquilo que realmente é o seu chamado e do que tem prazer de fazer? Se você não estiver fazendo, eu te desafio a buscar aquilo que você gosta e nem sentirá que estará trabalhando. 

Quarta: diz respeito ao que você está fazendo nesse momento, oferecendo alguns minutos do seu tempo para prestar atenção em alguma coisa que pode te agregar valor. Isso se chama educação continuada

Pensando nisso, costumo brincar que pode ter um curso de como empinar pipa, faça. No mínimo você irá aprender como funcionam as forças dos ventos, e isso sempre vai te trazer algum resultado e acrescentar um diferencial. 

Nesse viés da educação continuada invista em você, se desenvolva, busque o autoconhecimento e acredite que sempre existe oportunidades para àquelas que são auto-responsáveis, resilientes, para os que sabem usar suas fortalezas pessoais e para os que se preocupam com sua educação. 

Não importa qual seja a sua profissão, se você entender esses quatro pontos, pode escrever que conseguirá potencializar aquilo que está fazendo. 

Nós podemos te ajudar a viver grandes transformações!

Ficou pensativo nas 4 palavras dos 15 milhões? Que tal começar agora mesmo a colocar em prática as dicas dadas? Falando em educação continuada, a FCU pode te oferecer uma educação internacional com programas de mestrado, doutorado e pós-doutorado nos EUA, de uma forma que cabe em seu orçamento e no formato mais flexível às suas necessidades. 

Gostou? Clique aqui e conheça agora mesmo todos os programas, cursos e eventos promovidos pelo FCU e comece a trilhar os rumos da sua carreira internacional reconhecida. 

Como afirmou o Dr. Anthony Portigliatti, “um capitão de barco a velas precisa saber muito bem como direcioná-las conforme o vento que se tem. Assim, também acontece nas nossas vidas. Você não pode mudar os ventos, mas terá a capacidade, entendendo a maneira de direcionar suas velas, para aproveitar os melhores ventos. Quem sabe onde estar indo e aproveita os ventos, com certeza faz um bom percurso. Porém, quem não sabe onde vai e não sabe mexer com os ventos, já chegou. Porque na verdade não tinha nenhum objetivo. Finalizo dizendo que se você trabalhar de uma forma mais enfática aquilo que está vendo, aprendendo ou mesmo nos insight que possui, te asseguro que viverá grandes transformações”, frisou. 

E ai? Está esperando o que para posicionar suas velas rumo ao sucesso?

alcance seus objetivos

6 passos para alcançar seus objetivos

Um novo ano chega como uma folha em branco: uma chance de recomeçar e de conquistar todas as oportunidades que deixamos para trás no ano que passou. É muito comum desejarmos e até prometermos para nós mesmos uma vida saudável, mais tempo com a família e uma situação financeira melhor. Tudo isso é muito bom, e nunca é tarde demais para refletirmos sobre maneiras de atingirmos nossos objetivos. Mas muitas vezes, ao longo do caminho, perdemos as forças e a noção de para onde estávamos caminhando. Fevereiro chega e a maior parte de nossos objetivos já foram por água abaixo. Mas não precisa ser assim, e por isso separamos 6 passos para você atingir todos os seus objetivos em 2019:

  1. Descobrir/Visualizar– Saber de forma clara para onde ir é o primeiro passo para chegar em algum lugar. Como diz o ditado, “Para quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve”. Portanto, tire um tempo para refletir e visualizar com clareza quais são as metas e objetivos para este novo ano. Inclua metas profissionais e educacionais, mas também pessoais, como relacionamentos com os filhos ou passar mais tempo com seu cônjuge.
  2. Escrever – É muito importante colocar essa lista de metas e objetivos no papel! A correria do dia-a-dia, imprevistos e desafios nos fazem esquecer de nossas prioridades. Por isso escreva seus objetivos de forma que consiga ser constantemente lembrado por eles: carro, geladeira, tela de celular, espelho, agenda e até mesmo alarmes são ótimas ideias para se manter focado em seus alvos.
  3. Planejar– Agora seus objetivos já estão definidos e demarcados. O que vem agora? Estratégia. Sem o devido planejamento é quase impossível chegar ao destino desejado. Pare e pense em maneiras de conseguir o que definiu para este novo ano. Sem saber o que fazer, como será possível caminhar na rota necessária que te levará ao alvo desejado?
  4. Acreditar– O planejamento pode fazer com que você pense que será impossível alcançar os objetivos. Por isso é preciso acreditar firmemente que você pode, sim, planejar um ano que alcançará resultados extraordinários, mudando suas crenças limitantes por crenças fortalecedoras, pensando e vivendo cada dia desse ano novo com foco na sua meta desejada.
  5. Acontecer: De nada adianta completar as 4 primeiras etapas e ficar só no sonho! É necessário colocar a mão na massa! Para alcançar a meta desejada, é necessário ter ação. Gosto muito de uma frase do Tony Robbins que diz: “Na vida muita gente sabe o que fazer, mas são poucos aqueles que realmente fazem o que sabem. Saber não é o bastante! É preciso que você tenha ação.”
  6. Celebrar– Lembre-se de celebrar cada vitória. Aprenda a não menosprezar até mesmo as menores vitórias, pois são nelas que nos preparamos para um salto maior. Como diz Cris Franklin: “A grande sacada é você comemorar as pequenas vitórias!” Lembre-se que não é possível subir uma escada inteira sem passar por cada degrau!

Tenha certeza que se você seguir cada um destes passos com muito compromisso, seu ano de 2019 será diferente. Tenha fé e persista em seus sonhos: nunca é tarde!

A Florida Christian University lhe deseja um Feliz Ano Novo, repleto de sonhos realizados. Lembre-se que estamos à disposição para lhe ajudar a tornar esses sonhos realidade.

Compartilhe este texto com alguém para ajudá-lo a alcançar muitos ótimos objetivos neste ano de 2019!

produtividade

Produtividade: Como Aumentá-la nos Estudos e Trabalho

Você sente que está constantemente ocupado no trabalho? Passa o dia completando tarefas, mas ainda sai do escritório com a sensação de que não completou nada? Como Tony Robbins diz, “A maioria das pessoas confundem movimento com realização”.  Ao invés de tentar encher o seu calendário com atividades, você deve começar a focar no que deseja realizar no trabalho e nos estudos, e correr atrás destes alvos de forma eficiente e com produtividade. Adapte estas soluções dinâmicas em sua rotina diária, e você realizará mais coisas e se sentirá mais realizado, tanto nos estudos como no trabalho.

FOQUE NO QUE É IMPORTANTE

produtividade

Quantas vezes você é interrompido? Algumas destas interrupções vêm do seu próprio tédio – é por isso que você começa a navegar na internet e em suas redes sociais. Mas existem outras distrações que você não consegue controlar, como responder e-mails e participar de reuniões. Uma maneira de combater este fluxo aparentemente interminável de distrações é focar, todas as manhãs, nas coisas que você consegue completar naquele dia. Calcule sua produtividade escrevendo tudo o que você realizou no dia anterior e estime quanto tempo cada tarefa levou. Inclua tudo, desde o momento em que acordou, o que você fez no trabalho (incluindo as distrações) e o que você fez após o trabalho. Isso lhe dará uma visão clara de como é um dia típico para você.

Uma vez que você perceber quais tarefas precisam ser feitas, pense sobre qual deve ser a sua produtividade para trabalhá-las, ou qual propósito elas têm no panorama geral das coisas. Você quer crescer na sua empresa. Você tem uma grande apresentação para um cliente a ser feita. Qual o resultado que você quer desta apresentação? Você vai mostrar ao seu chefe que você é um funcionário ambicioso e cheio de conhecimento e produtividade, e potencialmente ganhará um novo cliente, o que pode acarretar em uma promoção.

Agora, corte as distrações que você pode controlar. Se você sabe que precisa gastar uma hora trabalhando em sua apresentação, então você não pode gastar 30 minutos navegando no Facebook. Pensar sobre o que motiva o seu trabalho lhe permitirá ter mais foco nas coisas que precisa concluir.

APRENDA A DIZER “NÃO”

produtividade

As pessoas mais bem sucedidas do mundo não são as que tentam fazer tudo de uma vez – elas são mestres em gerenciamento de tempo e sabem no que devem investir o seu tempo. Você quer ser visto como solícito e produtivo no trabalho, então você frequentemente diz “sim” para tudo o que lhe pedem. Mas, com o passar do tempo, você ficará sobrecarregado. Isso cria estresse e tira o seu foco das cosias em que poderia estar trabalhando. Aprenda a dizer “não” quando uma tarefa não se encaixar em sua agenda.

Além disso, identifique tarefas que são necessárias, mas não estão lhe trazendo crescimento. Você pode delegar estas tarefas para outra pessoa no escritório? Ao tomar controle do seu tempo e dedicá-lo em coisas essenciais, você aprenderá a cultivar produtividade.

ADQUIRA HÁBITOS MELHORES

produtividade

Por último, é importante identificar maus hábitos e trabalhar em construir hábitos mais positivos. Se você sabe que trabalha melhor à noite, durma mais nas manhãs e fique trabalhando até mais tarde. Você acha que seu cérebro funciona melhor depois de se exercitar? Acorde mais cedo e dê um pulo na academia. Parte de cultivar bons hábitos também inclui fazer pausas quando necessário. Por mais que você queira ficar no escritório o dia todo, não é possível trabalhar com produtividade sem recarregar as baterias de vez em quando.

Se você está se sentindo estressado e sobrecarregado pelo número de coisas que estão à sua frente, é hora de uma mudança. Você pode começar fazendo a seguinte pergunta para si mesmo:

Como vou viver hoje para alcançar o dia de amanhã que desejo?

 

Este artigo foi traduzido e adaptado de Tony Robbins. Para lê-lo na íntegra em Inglês, clique aqui.

 

história

Por Que O Seu Cérebro Ama uma Boa História

Está escuro. O cinema está em silêncio. James Bond se equilibra ao longo do precipício de um prédio enquanto seu inimigo aponta-lhe uma arma. Aqui, na plateia, os batimentos cardíacos aumentam e as palmas começam a suar. Eu sei que isso é verdade, porque ao invés de aproveitar o filme, estou prestando atenção em uma dúzia de pessoas que estão assistindo. Para mim, a animação tem outra fonte: assistir um verdadeiro balé neurológico causado por uma história, que alterou a atividade cerebral dos espectadores.

Muitos homens e mulheres de negócio já descobriram o poder de contar uma história, de maneira prática – eles observaram o quão eficiente uma narrativa bem construída pode ser. Mas um trabalho científico recente encontrou maneiras muito mais profundas de como uma história pode mudar nossas atitudes, crenças e comportamentos.

Como criaturas sociais, dependemos de outros para nossa sobrevivência e felicidade. Uma década atrás, meu laboratório descobriu que uma substância neuroquímica, chamada ocitocina, é uma chave que sinaliza ao nosso cérebro que “é seguro se aproximar de alguém”. Ocitocina é produzida quando nos fazem um ato de bondade, e motiva a cooperação com o próximo, aumentando o senso de empatia e nossa habilidade de experimentar as emoções dos outros.

Mais recentemente, meu laboratório decidiu experimentar se haveria maneira de “burlar” o sistema de ocitocina para motivar as pessoas a terem comportamentos cooperativos. Para fazer isso, testamos se narrativas em vídeo (e não contadas pessoalmente) faria com que o cérebro produzisse ocitocina.  Com amostras de sangue tiradas antes e depois da história, descobrimos que narrativas com foco em personagens causam uma produção consistente de ocitocina.

Em estudos posteriores, pudemos compreender melhor do porquê as histórias motivam a cooperação voluntária. Descobrimos que, para uma história motivar alguém a ter uma ação de ajudar o próximo, a narrativa precisa sustentar a atenção, com o desenvolvimento de tensão durante a história.  Com isso, os espectadores podem compartilhar das emoções contadas na história. Isso explica a vontade que você tem de se exercitar depois de assistir as cenas de guerra em “300”.

Estas descobertas são extremamente relevantes no cenário business. Quando você quiser motivar, persuadir, ou ser lembrado, comece com a história de uma luta, e uma eventual vitória. Isso captará o coração do seu público – captando, primeiramente, seu cérebro.

Este artigo foi traduzido e adaptado de Paul Zak. Leia o artigo na íntegra e original aqui. Paul Zak é um dos palestrantes no InterCoaching/Business, evento que acontecerá em dezembro de 2018. Para mais informações, clique aqui.